06/07/2020

Sobre eu estar escrevendo um *livro*

Olá~ são 19:21hs enquanto digito isso aqui e há muita coisa acontecendo na minha cabeça. Existem três coisas que me fazem feliz na vida: comer e dormir. Acabei de acordar de um ronco muito suave agora a pouco, e também ao acordar, bati um ranco muito agradável de um crossant, um biscoito recheado e aqueles biscoito de sal.... Eu como muito eu sei, não sei pra onde está indo tanta comida. ─ Ainda na questão de coisas que gosto, eu dei meu celular para minha mãe trabalhar (ela precisava de um extra) e eu fiquei sem. Tudo bom, tudo nice, realmente estava suave até ela me vir com um iphone 7 plus. Eu fiquei feliz e ao mesmo tempo brava. Não sei vocês mas iphone é um desgosto de caro e certamente não estamos numa boa hora para ficar gastando sem mais nem menos. Mas é claro que aceitei, sou filha de Deus uai! E também por ela já ter começado a pagar a mensalidade. Detalhe importante: Ela pagou só as duas primeiras parcelas, o resto é comigo ಥ_ಥ choremos

Enfim, vou começar contando uma história engraçada, vocês vão achar muito interessante: Eu não sou a louca dos livros. Algumas pessoas que souberam que eu estou escrevendo uma história já me vem com "nossa você deve adorar ler". Hahaha~não. De fato ler é gratificando pra mim, mas não sou como as pessoas pensam. Decidir escrever um história não veio inteiramente pelo meu amor por leitura pipipopo. Ah, certo! Sim, estou escrevendo um "livro".


mexa o poposão

Algumas pessoas devem saber que eu e a Uni estamos criando um jogo de RPG, já citei isso algumas vezes ou sei lá! Certamente eu pude dar o ar da graça em começar  a criar um jogo justamente por conta da história que estou escrevendo. Se vocês querem saber um pouco, continue absorvendo a dinastia magnifica deste post.

DOLLINE
Prendados, Belos e Malignos

Sim, este é meu livro hshshhs Dolline. Uma roteiro de terror e mistério passando-se em 3 eras diferentes de um mesmo universo: passado, presente e futuro. Todos divididos em mais de um arco/temporada. Diferente do que se possa pensar, Dolline não é contando nesta sequencia. Sendo a primeira parte como presente (anos 50), a segunda o futuro (era de 2010 adiante) e somente na última é relatado o passado (século 17 antecedentemente). Confuso? Sim, igual minha cabeça depois de bolar o roteiro inteiro.

Sinopse e logline: Em meados de 1958, em uma cidade pouco conhecida na Flórida, viviam seus habitantes comuns usufruindo de suas vidas normais. Tudo era absolutamente típico como deveria ser, até mesmo para a jovem 'Gwen' Gwendoline que era tão trivial quanto suas 5 irmãs, porém de certa forma, facilmente absorvida pela curiosidade e com grande facilidade de sair da bolha que sua mãe a colocou.
O trem de sua vida saiu dos trilhos e vagou desgovernado após tentar bisbilhotar a mansão de um solitário nobre conhecido da região ─ porém recôndito e misterioso, ─ senhor Wittrock a quem era dono de um sorriso moldado e expressão plastificada.
❝Ele era como um boneco de porcelana. Chegava a ser estranho demais, quase acreditavam que realmente podia ser verdade.❞

image

image SOBRE O(s) NOME(s) image

Dolline demorou para ser tornar Dolline. No começo era apenas Boneco; logo em seguida quis dar uma de bilíngue e traduzi-o para inglês (Doll). Mas logicamente senti que faltava um pouco de tempero. O nome seria a junção da proposta inicial da história com o nome da protagonista, Gwendolyn Gwendoline. Sim, o nome e sobrenome da protagonista é meramente idêntico, achei que fazer de seus pais as pessoas menos criativas para nomear sua filha fosse dar um diferencial. ─ Doll, sera boneco. Line já tem uma ampla significância, sendo esta a ultima parte do nome de Gwen e também Linha, onde na qual todavia contudo, é ligeiramente uma característica importante para a história.

image TEMAS QUE ABORDA image

Não ia dar pra falar dos anos 50 sem cutucar na ferida, né?! Algumas pessoas sabem que eu sou apaixonada por vintage, os anos 70, 80, 90 são lindos divos e plenos amem glória, mas a questão estética dos anos 50 para baixo (também de séculos passados) é mais atrativo para mim. Quem viu o layout passado entendeu um pouco do que quis passar sobre isso. Papel de parede florido e uns jazz na radiola AAAA surtos sanguinários. Porém, todos sabemos que viver hoje já é um tiro no pé, imagina só naquela época.

Eu jamais vangloriarei tais épocas só por achar bonito os estilos, as musica, os filmes; a história nos mostra o qual difícil era viver naquela época e se você não era homem cis, branco, hétero e rico, era um completo inferno em alguma fase da sua vida. Concorda? ─ Dolline, passando-se em 1958 onde ainda estava tendo a segregação racial, não deveria fazer passar este assunto sendo que as coisas passam-se nos Estados Unidos da América amem; ─ Temos cá um protagonista branca, mulher cis  e hétero (não tão esclarecido sendo esta uma moça adolescente que ainda está a explorar sua vida) criada num lar de uma família tradicional católica. Mas ela vive no planeta terra e querendo ela ou não, ela vai presenciar o pior da humanidade.

Racismo: Passando-se na era da Segregação Racial, Gwen vive numa bolha criada pelas pessoas ao seu redor, com isso, nada é tão ruim assim até conhecer um rapaz negro. Ele, do jeito que vem a calhar precisa abrir seus olhos. Afinal, tudo começa de algum lugar, não? ─ Antecedentemente, no século 17 haviam todas as questão abrangentes da escravidão. O lado negativo é que não sei se serei totalmente fiel a isso já que a história em si de Dolline já é complexa demais para esclarecer mais injurias.

Homofobia: Como pretendido, no catalogo de personagens principais eu tive que adicionar um bem fpd. Alem de racista e machista este protagonista é também homofóbico, olha que lindo. Relatando não só a famigeração de tal ato, também a forma pejorativa de ofensa, sendo o individuo Gay ou não, por exemplo.

Machismo: Uma das coisas que Gwen se encaixa é no tão temido "fora do padrão feminino". Ela não se comporta como uma moça a quem sua mãe tanto deseja, apesar de tentar não é totalmente recata, feshionista, prendada. Gwen é o que ela quer ser naquele segundo e isso não está dentro dos padrões. Como de praxe, seu pai é o homem da casa, sendo este o único que trabalha. Sua mãe "dona de casa" sendo está quem limpa, cozinha, cria os filhos. Além de outros termos a serem revistos.

Religião: O termo cristão será bastante citado na obra. Mas como se trata de um terror estruturado, coisas como magia negra e o termo pagão também estarão nela. Não quero de forma alguma denegrir qualquer forma de crença e descrença, tão tal, que a forma como é tratado é de uma forma longamente fantasiosa, dentro de um universo mágico e ficticioso, talvez até um pouco exagerado.
Adolescência: Acho que a protagonista sendo uma menina adolescente, há também as questões de descoberta; como com cautela as mudanças no corpo, a aceitação de si mesma, a pressão dos pais, a descoberta de amores, as dificuldades e incertezas que ela deve enfrentar como jovem sendo forçada a se tornar mulher cedo demais.

Mudanças e aprendizagem: Não gosto quando o "vilão" decai de forma ruim, eu como uma pessoa linda que só quer ver o lado bom da vida, tenho que fazê-los aprender a lição. Lembra do protagonista fdp lá em cima? Então, este mesmo... Ele no fundo é um bom rapaz, só precisa criar vergonha na cara. Aprender e tolerar é um passo grande para a mudança.

image

image COMO SURGIU A IDEIA image

Eu havia participado de um concurso de capas e como participação eu enviei esta capa (www) que surgiu naturalmente após assistir a 4ª temporada de American Horror Story (inclusive fiz um post sobre aqui no blog). Daí, olhei para Finn Wittrock e para o nome que acabei criando e logo os relacionei. Der mann puppe seria algo como "O homem marionete" em algum idioma (creio que seja alemão). Um roteiro imenso começou a brotar das forças celestiais em minha mente. E com a ajuda de Uni, nós desenvolvemos o começo, meio e fim de Dolline, que inclusive era um jogo de RPG do BTS.

Sim! Dolline era inicialmente um Visual novel e depois um jogo de RPG do BTS meu povo ksksksk ai gente que emoção. Acabamos por abandonar a ideia pois estava indo longe demais, muito alem do que estava previsto, e infelizmente estava tomando um caminho confuso e sem nexo. Caso vocês queiram ver como era o jogo Dolline (versão BTS) veja só alguns dos prints:




image

image LADO NEGATIVO image

Infelizmente eu tratei Dolline como uma fanfic. Como foi uma fase em que eu estava realmente viciada no AHS a história é claramente uma fanfic de Finn Wittrock, mesmo não sendo a intenção, dá para notar amplamente que eu não mudei o nome do personagem ksksksksk Uso Finn tanto como faceclaem como protagonista. Poderia eu mudar isso agora? Sim, mas estou com preguiça, já deu um grande trabalho até aqui vish kk

Não Acredito Nisso GIF - Chorando Choro Naoacredito - Discover ...

image


Você pode encontrar esta história em andamento no Wattpad. Ela está em desenvolvimento, mas todo o plot está completo e pensado, só deve haver um pouco da minha coragem para escrever os capítulos.

   
image

Aí está um pouco do que pude esclarecer deste livro... Que na verdade é uma fanfic pois fui very burra. Mas sou bem absorta em relação a Dolline, vai que eu o termino e decida publicar em livro físico ╚(•⌂•)╝ O que posso dizer sobre o jogo, é que eu estou criando um outro jogo (que na qual eu já havia dito várias vezes aqui no blog) que se passa no mesmo universo de Dolline. Caso tenha curiosidade em adivinhar sobre o jogo, na Agencia 961 você pode te rum gostinho dos meus OCs hehe


3 comentários:

  1. Nigohyu. Minha cara. Você está anos luz a minha frente e isso eu tenho que reconhecer porquê olha, eu não tenho a menor - menor - paciência para escrever algo tão extenso. Então toma aqui meu reconhecimento e meu "hands down" porque você merece!

    Admito que a proposta não me é tão tentadora assim mas, só de ler todo o planejamento eu fico curiosa. Principalmente pelas linhas de tempo, já vi série, li livro assim e me pergunto como você viria a abordar isso. Por isso prefiro me focar em tramas curtas com começo, meio e fim. Por isso prefiro escrever fanfics no momento, por não ter a menor vontade de fazer algo extenso ah-haha! É sério, eu já tentei, tinha tudo na cabeça mas quando botava no papel eu ficava "mas isso aqui tá uma droga" e largava de mão.

    E puxa, que saudade de quando eu tinha wattpad para ler as fics de Bungou - até eu perder a vontade de acompanhar as coleções. E ao invés de pensar que tratar a sua trama como uma fanfic tenha sido algo ruim, pense que já deve ter tido muita coisa que começou assim nesse mundo lmao. Enfim, Nigohyu 'cê tá de parabéns!

    Respondendo o seu comentário, eu tenho um aplicativo de notas (o colornote) e geralmente, deixo tudo registrado lá, aí vou vendo as ideias que quero levar adiante e as que quero descartar - mas o que não me falta é papel com anotação também, eu não paro quieta! Aliás, eu estava no maior nervosismo de publicar aquela postagem, mas achei necessário registrar como eu consegui esse feito, pois um dia eu posso relaxar também - melhor isso que me arrepender depois.

    "o povo do spirit tem que vir aprender como se faz", o grito que eu dei!!! Se isso não for um elogio, eu não sei o que é KOREORKWORKEOW e eu escrevo fanfics referentes a animes, mangás e cartoons que acompanho mesmo (como disse ali em cima, minha vontade de criar algo original é batida pela preguiça) e geralmente gosto de manter tudo no mais fiel possível :)

    Aliás, como assim 'cê ganha o celular e paga por ele!?

    Vou ficando por aqui 'té outra hora!
    Beijos, Snow!

    ResponderExcluir
  2. nigooooooooooo aaaaaaaaa que saudade de vós mi ser
    voltei pra blogosfera e quando entro aqui tá tudo diferente mona. E ainda me vem com um post sobre teu livro. Ainda bem que eu sou privilegiada e supri dolline quando tu postou no Wattpad. Gosto bastante do seu jeito de escrever, sério! E de qualquer forma eu gostei muito de ter escolhido o Finn como o protagonista, e caso vc queria deixa-lo autoral é só alterar o nome depois (ok que vai dar um pouco de trabalho, mas o suor tem que descer de algum lugar ne?)
    Nossa alem de boa escritora, ótima design, ainda manja nos jogos a! quero muito que você termine esse jogo que está fazendo, quero muito conhecer!♥
    https://httpcus.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, Nigohyu!

    Olha, faz um tempinho que eu estava reunindo coragem para brotar em seu bloguinho, e finalmente o espírito da coragem baixou em mim. Primeiramente eu gostaria de comentar sobre esse seu layout que tá ó *chef kiss*, maravilhoso. Eu também gostava do anterior, de anjinhos, era bem bonitinho, mas eu tenho uma preferência natural pelas coisas mais darkness, ahUahsuahaua.

    Aliás, parabéns pela iniciativa de começar um livro! Estou mandando minhas energias pra que você consiga procedê-lo sem demais perrengues (ou com o mínimo possível deles). Sou uma escritora também, só que de alcova. Espero algum dia poder divulgar minha obra lá no DF como estais fazendo aqui.

    Sabe, eu não sei se tem alguma coisa à ver, mas à julgar pelos temas que você pretende abordar (gostei de todos, à propósito) e pela ambientação do seu plot, remeteu-me um pouco ao album "Electra Heart" da Marina. Se não conhece, hiper recomendo, pode até ser que consiga lhe deixar na atmosfera para compor sua história.

    É isso, um xero <3

    ResponderExcluir

Tentei ser normal, mas não consegui, eu tenho que soltar a franga:

❀Faz o que tu quiser da vida nesse comentário;
❀BUT, tá ilicitamente proibido ofender outros leitores!
❀Se chegar dando a louca com eles, o pau vai comer. nois manja das artes dos paranauê ¬¬ #rimou
❀Divulgação aceitamos, nem precisa comentar nada do post. PORÉM, entrará pra nossa lista de "Trouxas" #ignorada ;D.
❀Se quiser descontar sua raiva com palavões sobre nossa pessoa, vai em frente, mas não me responsabilizo pelo Jutsu Thug Life que receber. não ofenda a Uni que a Nigo não gosta! E se quiser ficar com dentes, não ofenda a Nigo, que a Uni não gosta :*