{BLOGAGEM} Together (ouvi um aleluia?): Uma história cabulosamente Tenebrosa

Mais um post marotinho do ano... Sim, eu deveria ter vergonha de dizer que é "do ano"! Eu não estou sendo assídua nem aqui nem na minha vida, sinceramente já desisti de prometer frequência nessas coisas. Deus é testemunha das postagens em rascunhos pela metade, e da falta de coragem e motivação que eu estou tendo até pra comer ;-; Mas exageros a parte, vamos aos panoramas do mês e as mudanças bem mudadas do blog. Antes de mais nada, vamos ao comentário inicial do layout, neh.  Porque, neh! hum~ Bem nescauzinho, super tumblr e muito pastel. Muito neném, e diferente de tudo que fiz. Mais a frente, explicarei-o melhor. Eu estarei o colocando no fim do mês de outubro para não destruir esta sensação de terror no halloween ~ohhhhh~ 

Neste post, vamos enfatizar algumas mudanças no final. Podem parecer bem bobinhas, mas acredito que isso vai interferir muito na vida do blog. E quando digo interferir, isso não piora nada pra mim, afinal, as escolhas foram bem pensadas e me agrado delas. ─ mas agofra vamos a algo que estou muito ansiosa a fazer:


Gente, me diz! Quem tá feliz em finalmente fazer esta benção? eu~ 3 meses que entrei no projeto e nunca comecei kkkk (pq eu to rindo mesmo?) Mas depois que o desespero bateu, eu decidi fazer. Como eu achei que não poderia mais este mês e nunca, eu já havia lavado as mãos. Entretanto, conversei com Shana (dona do projeto) e ela me permitiu continuar. HJDSJAJNDJJKJKSDJKK ! (obrigada, sério)



Esta postagem faz parte da Blogagem Coletiva de [mês] do Together, um projeto para unir a blogosfera! Para saber mais, CLIQUE AQUI!

Este texto é um historinha de terror que consiste em uma espécie de RPG. Se você não gosta não leia... Mentira, lê sim!~




• Você está com um grupo de amigos, e eles resolvem visitar um local ~assombrado~. Onde eles querem te levar?
Estar longe de casa numa noite desconfortante já é algo para se ter medo, ainda mais este queridos 'amigos' meus estarem tão ansiosos para me levar a uma suposta Cidade Abandonada, no interior de Minas Gerais, no meio de um mato numa suposta ilhazinha afastada do resto do mundo.


• Ok, o local foi definido - mas e aí, qual a sua reação? Você vai?
Depois de uma letra de poema cantado com uns 300 não's seguidos e um "Saia daqui, e pare de  me incomodar", decidi que não seria tão ruim acompanhá-los nesta jornada. Afinal, é sempre bom se cagar de medo ou ter aquela sensação de que vamos todos morrer.


• Seus amigos são sacanas e já tinham decido te arrastar independente da sua vontade. Como é o trajeto?
Como dito, o local abençoado ficava concentrado numa tal ilhazinha, onde tivéssemos que pegar um barco e sair remando não muito longe de uma cidade perto daquilo. O barco era velho e o rapaz que nos havia informado a forma de chegar lá, já avisara que era o único meio de transporte.


• Ok, parece bom. Chegando lá, ninguém quer entrar no local ~assombrado~, e resolvem tirar no palitinho. Quem foi o escolhido? Claro que é você! E agora?
E agora que repenso nos meus pais e no fato de não ter me despedido daqueles que sempre me guiaram desta vida ~chora~ depois da decepção da noite, os Amiguinhos ficaram na beirada do rio, aonde pudessem cuidar do barco e avistar as luzes da cidade vizinha.

• Bom, você é o protagonista, então independente da pergunta anterior, você adentra o local ~assombrado~. Quais são as primeiras 3 coisas que você vê?
Ligue a lanterna do celular e comecei a reparar na cidadezinha. O local tinhas umas casinhas abandonadas, tão distantes umas das outras que mal sabíamos se já havia sido habitada algum dia. Tinha muito mato, tanto que eles acabavam por entrar pelas portas. Não havia rua ou calçada, apenas mato, muito escuro e casas não tão pequenas. Depois pensei o que estava fazendo ali, até notar que nem sabia por onde tinha entrado.


• Hm, é, ok. E aí, é ~assombrado~ mesmo?
Se não é, no mínimo traz consigo aquele cheirinho de morte. O silencio é tão agoniante que não sente-se nem a presença de insetos.

• Tá. Bom, de qualquer maneira, você precisa explorar um pouco mais. Ah é, seus amigos te obrigaram a fazer uma aposta! Qual era a aposta?
Aquelas beldades maravilhosas estavam a brincar com fogo! Sério, dizer para minha pessoa entrar numa das casas mais afastadas da iluminação e chamar calmamente pelo morador... SE EU MORRER, VOU PUXAR O PÉ DE NEGUIM!~


• Ok, missão definida, você está desbravando o local. O que está acontecendo?
Após escolher uma das casas, (não tão longe, porque sou nem trouxa, neh..) noto que a casa realmente era vazia. Não parecia mesmo que gritaram "abandonar navio!" e os moradores sairão correndo deixando tudo para trás. Lá não tinha muitos moveis no primeiro comodo, quase 
vazio... O vazio era tão horrível.


• Ei. Você ouviu isso?
OUVI NÃO, PÁRA! ~O sangue de Jesus tem podeeeeeer, tem podeeeer, tem poderrrrr!~


• Ufa. Era só a sola do meu sapato fazendo barulhinho. Continuemos. A propósito, você não está mais sozinho. Fique atento.
ahhh, criatura de Deus. Se continuar assim, eu morro no meio do caminho do coração. 


• Você provavelmente tinha algum instrumento com você. Se for uma lanterna, ela vai cair num buraco. Se for um celular, vai acabar a bateria. O que você vai fazer agora?
Ajoelhar-me e começar a orar segurando na mão de Deus já é um bom começo ;-; Ah, não, espere! Vim equipada com meu brilho. ~ Sorri e bate palma para acender a chama~ Erghh, não funcionou T-T


• Você acaba de se dar conta de que está perdido no local e não consegue mais ouvir seus amigos. Qual a primeira coisa que te passa pela cabeça?
L . A . S . C . O . U


• Tem algo atrás de você. Mas você não pode ver. E agora?
Cara! Estou apostando com todas em maiúsculo que deve ser algum de meus amigos querendo me pregar uma peça. Talvez o Severino esteja atras das arvores do lado de fora, ou um deles tenha se jogado no lamaceiro para dar-me um susto agora... Bom, eu espero!~


• Parece um plano. Continue assim. Enquanto isso, você percebe que está cada vez mais escuro. O que você faz?
Continuando o caminho. A certo momento que cheguei em um ápice de medo tão alto que entrei em um piloto automático. Meus pés não obedeciam e eu só andava e andava para outro comodo.


• Tem algo aqui. O que é?
Mas o que é o quê?! Só podia ser o nada. Esse bendito nada sempre me assombra. Mas veja, há uma cadeira aqui. Ela é de madeira velha. Devo sentar? Ela fede a madeira podre e molhada. Misericórdia!


• Certo. Qual o seu plano pra se livrar disso?
Primeiramente retirar o casaco do Bob Espoja e enrolar na mão para elas não tocarem nessa coisa fedida, depois vamos rebolar pela janelinha aberta logo ao lado.


• Você não conseguiu se livrar disso. Agora, está ouvindo vozes. Não são seus amigos. O que você faz?
A cadeira era tão velha que se despedaçou e ficou por lá mesmo. Ah, não consegui! Qual a novidade da noite?! Estas vozes brotaram do nada na cabeça. Alguém deve estar bem bravo por ter destruído sua cadeira. 


• Bom, a essa altura você já amaldiçoou todos os seus amigos, a sua sorte e toda a sua árvore genealógica. Qual o plano?
As vozes aumentaram, era como um coro. Devem ser meus gritos internos xingando os palavrões mais feios do mundo para dar aos amigos de presente. Mas elas estão me dando medo. Devo sair daqui o mais rápido que puder. 


• Em meio a seu desespero, você encontra um objeto que pode te ajudar. O que é, e como você vai usá-lo?
Raios de realidade, não?! Não tenho como chamar o Batman, e certamente nem o próprio teria coragem de vir para me salvar. Certamente devo vasculhar o pequeno comodo. Acho uma lamparina, ou sei lá o que é isso. Mas não há fosforo ou algo parecido. Era como me dar um avião sem um piloto. Mas vamos lá, procurar um esqueiro ou algo que faça fogo.


• Em posse do seu plano e do seu objeto, você chega a um novo ambiente no local. Descreva o lugar.
Era um quarto logo ao lado do comodo que estava. Ele tinha uma cama de madeira muito mais velha que o usual. Não tinha colchão, apenas o esqueleto do móvel prestes a se despedaçar. Não havia mais nada ali alem de uma passagem no chão (tbm de madeira, haja madeira neh mundo).  Não vou descer, talvez eu deva sair daqui, dane-se o fosforo, dane-se a cadeira, dane-se a apósta! tchau.


• Neste ambiente, você encontra um caderno, parece um diário. Como ele é?
Assim como o resto de tudo que há neste local, era muito velho. As folhas eram gastas e amarronzadas, um dia talvez elas foram brancas, mas com o tempo, parece-me que foram atiradas na lenha.


• Você eventualmente descobre que o diário foi escrito por você. Você está morto há 33 anos, e sua alma está presa ao local. Algo te impede de seguir adiante e, se você não descobrir o que te prende no mundo terreno, está fadado a repetir o mesmo ciclo todos os dias, por toda a eternidade. Qual a sua reação?
Morta?! Ah, tudo bem... De boa, nossa, isso acontece nas melhores famílias ;') É por isso que não sabia como sair de novo. Parece que eu me afastava cada vez mais da saída... EU DISSE QUE SE EU MORRER EU IRIA PUXAR O PÉ DE NEGUIM!~


• Você consegue se lembrar o que te prende no plano terreno?
Bem, se o meu ciclo acaba sempre que acho o diário e descubro tudo. Como faço?! O que está faltando na minha vida? ....  Qual fora a ultima coisa que eu NÃO fiz?


• Havia algo com você no meio da história. Está de volta. Você pode fugir ou interagir. Tomada a sua decisão, o que acontece?
Deus é mais! Meu celular amoreco ♥.♥ Tá com a bateria cheia! Se eu tô num looping, será que o Nokia 1600 já foi lançado? (~quê, to morrendo aqui gente, eu tenho que rir da minha desgraça pra manter a sanidade~)


• Você está caindo. O que está acontecendo?!
Uai! Este buraco debaixo da cama está aqui pra que mesmo? Vamos pular neste bendito. Mas estou com um cagaço danado... Se eu morrer pulando nele, eu morro de novo, ou viro um zumbi invertido? Pois bem.... JERONIMOOOOO! ~pula~


• Você acordou na sua cama. São 5:55 da manhã. Foi tudo um sonho?
Manheeee~ prepara meu leite com toddy, eu não to bem!~


• Você começa a seguir sua rotina. Há uma sensação de deja vu. O que você está pensando?
Se tudo foi um sonho, neste mesmo eu havia encontrado aquele diário onde dizia que eu estava morta e com o espirito preso num ciclo infinito... Quem escrevera aquele diário, afinal? Espere, esta sensação é tão desagradável.... MANHEEE CADÊ MEU TODDY?


• Você acaba de descobrir algo relevante para a história. Nos conte!
Era uma quinta-feira, do dia, mês e ano que antecedia o mesmo dia que meus amigos e eu fomos a ilha do Kyung-soo. PERA AÊ, ERA VERDADE AQUELA DESGRAÇA? EU ESQUECI DE ORAR PRA ALGUM SANTO PRA ISSO TÁ ACONTECENDO?


• Com a sua descoberta, a história tem um plot twist (reviravolta). O que está acontecendo agora?
Parece que tenho que ter um conversinha com o escritor deste roteiro da minha vida! Levanto desesperada e vou bater na porta de todo mundo. Pergunto-me como isso está acontecendo, porque merdas é que eu descubro que morri e que vido em um looping e logo agora eu estou voltando o ciclo me lembrando de tudo. Tem angu debaixo deste caroço!


• Você está de volta ao local. Explique.
Explico tudo a todos, e como não consigo converse-los, convido-os para voltarem lá comigo, por diversão. Mas eu tenho outros planos.Preciso fazer este dia diferente, para pelo menos saber como eu vou pro céus, néh, mano... Acabei de lembrar que minha mãe não me deu meu toddy com leite ;-;


• Você precisa realizar uma ação. Qual?
Entraremos todos juntos, desta vez eu vou pegar todos pelo cabelo e arrastar comigo.


• Depois de tudo, você só consegue pensar em uma coisa: o que é?
Primeiramente, se a aposta que eu não fiz 'noite passada' não foi feita, eu preciso fazê-lo. Depois, teremos que procurar o diário, para termos certeza do que estava acontecendo. Se sairmos vivos dessa, vou chamar o Irmãos Winchester para vir benzer esta casa e principalmente ver o que tem naquele buraco debaixo da cama.


• Parabéns! Você chegou ao final. Você sobreviveu?
Juntamos-nos todos na casa, e chamamos pelo morador. Nada aconteceu! Nada mesmo, até o clima ficar menos apreensivo. Estavam todos com medo, eu estava té feliz, pois... aquela sensação estava indo embora. 


• Tem certeza?
Agora tenho mais certeza de nada! Estou confiante, mas comum pé atrás.


• Mesmo, mesmo?
Não ;-;


• Você se depara mais uma vez com o diário. O que está escrito?
"Eu só queria companhia, aqui é tão escuro".~ Caralho, gurizada! Quem quer companhia??? oi, tudo bom?! Cante comigo está canção: ~ O SANGUE DE JESUS TEM PODEEEEEEEEEEEEERRRR!

• Com o que você descobriu, coloque um fim nessa estória, de uma vez por todas!
Estamos apreensivos! Os meus amigos haviam de longe estado com medo, tínhamos grandes perguntas a tudo, mas nenhuma resposta. A casa era sombria, mas a lua era um grande holofote para ela. Depois de recontar o que me havia acontecido. Saímos como loucos, pegamos nosso barquinho e voltamos a cidade. Já estava a amanhecer.  ─ O que nos restava era perguntar, ─ as pesquisas para os moradores da cidade vizinha eram confusos, mas com o tempo chegamos a algumas conclusões:

A cidade e a ilha era uma só, mas o nível do rio havia subido e dividido o pedaço mais alto (ilha) do resto da cidade. A ilha era antigo vilarejo dos primeiros moradores da cidade e com o tempo, eles foram acabando e indo embora, até não sobrar mais ninguém. Mas, não se sabe ao certo o que estava na casa. Talvez alguma criança havia restado e sido esquecida, caído naquele buraco. Ou uma mulher, homem ou idoso. ─ Ficar sozinho na escuridão causa medo e distanciamento do real com o imaginário. ─ Estar sozinho é sinônimo de suprir por companhia. A pessoa dona do diário, viu em mim e meus amigos uma forma de companhia e como eu fui a única a estar lá, prendeu meu lado espiritual para apenas me observar, me fazendo voltar todos os dias, estando presa na tempo sem notar.

Voltar lá e tentar resgatar o espirito preso e solitário? Ou... Voltar pra casa e tomar o toddy com leite da mãe?



O que acharam? kkkk Eu não sei escrever história de terror, eu tive que pôr algo pra me distrair se não eu me cagava aqui. E evitei colocar imagens, para não lotar o post e ficar mais extenso do que já está.
Bem, como estou com preguiça de falar as novidades, estarei para deixar ao próximo post. Espero que tenham se morrido gostado. Durmam bem ¬u¬

Feliz mês das bruxas
VLw FLW✌

6 comentários:

  1. DOCES OU TRAVESSURAS?
    ESCOLHE UM PELO AMOR QUE TA ACABANDO O TEMPO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DOCESSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

      Excluir
  2. Eu adorei Nigo! Ficou muito bem engajada a história toda... Cê manja dos terror hein! ksks ❤

    Feliz Halloween atrasadão haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk eu manjo é? se tá de brinks ne?!

      Excluir
  3. Olá Nigo primeira vez aqui o// Eu gostei do layout também achei diferente e bonito. Deu uma sensação aventureira. Que amigos sacanas mesmo aushauhsau. Suas reações foram engraçadinhas UHASUHAUSHAUS. Imagina se essa história acontecesse na vida real mesmo. TENSO. Nessa época de halloween to achando montão de coisa medonha~

    Snack Cheese Fomos para Marte 👽 ~☆v i s i t e - n o s☆

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vinda!
      Fico feliz que tenha gostado do leyout, confesso que deu trabalho a fazer, mas o resultado foi agradável ^^ ─ na vida real? nem brinque com isso, já tive mó cagaço escrevendo isso kkk

      Excluir

Tentei ser normal, mas não consegui, eu tenho que soltar a franga:

❀Faz o que tu quiser da vida nesse comentário;
❀BUT, tá ilicitamente proibido ofender outros leitores!
❀Se chegar dando a louca com eles, o pau vai comer. nois manja das artes dos paranauê ¬¬ #rimou
❀Divulgação aceitamos, nem precisa comentar nada do post. PORÉM, entrará pra nossa lista de "Trouxas" #ignorada ;D.
❀Se quiser descontar sua raiva com palavões sobre nossa pessoa, vai em frente, mas não me responsabilizo pelo Jutsu Thug Life que receber. não ofenda a Uni que a Nigo não gosta! E se quiser ficar com dentes, não ofenda a Nigo, que a Uni não gosta :*

By soshyu || Nigo e Uni ♥